Politeia em produção

16 minutos de leitura

Escrito em 15.10.2018 por Jake Yocom-Piatt, Decred Project Lead

Hoje, o sistema de propostas do Decred, Politeia, entra em produção na mainnet. Isso significa que a organização que desenvolve o projeto cedeu o controle sobre os fundos da rede (subsídio acumulado do projeto), atualmente avaliado em USD 23 milhões, para as partes interessadas (stakeholders) do Decred. Estamos trabalhando nesse marco há cerca de 18 meses, então estamos muito animados em colocar a Politeia em produção. É importante entender que a Politeia é uma ferramenta muito poderosa: pode permitir todos os tipos de desenvolvimentos positivos para o Decred, mas se usada imprudentemente, pode levar a uma ampla variedade de problemas. A Politeia permite que usuários e partes interessadas do Decred proponham, discutam, colaborem e financiem novos projetos, iniciativas e mudanças de consenso. Se as partes interessadas fizerem um julgamento equivocado, pode haver sérias consequências negativas, por isso estou compartilhando minhas experiências e observações como guardião do Tesouro (fundos da rede) até hoje, na tentativa de informar nossas partes interessadas sobre os riscos potenciais dessa função. Desde o lançamento do Decred em fevereiro de 2016, a organização que desenvolve o Decred tem sido muito conservadora com os gastos, tendo gasto um total de USD 2,8 milhões, aproximadamente DCR 130.000, nesse período. No restante deste post, discutirei uma variedade de tópicos relacionados à administração do Tesouro.

Soberania do Tesouro

Assim que a Politeia estiver em produção na mainnet, todas as liberações de fundos do Tesouro exigirão uma votação das partes interessadas. No entanto, para liberar os fundos ainda é necessário que eu assine as transações como gerente da organização, o que significa que esse controle de fundos é um controle “soft”. Uma vez que a liberação dos recursos do Tesouro do projeto ainda exigirá minha aprovação como gerente e um fluxo através de uma entidade corporativa convencional, eu poderei vetar liberações de fundos. Espero que eu nunca precise exercer tal veto, e as únicas circunstâncias que eu consideraria exercer um veto seriam (1) se eu sentir que a liberação de fundos colocaria o projeto inteiro em risco ou (2) colocaria a organização de desenvolvimento e/ou a mim mesmo em risco legal. Quando o Tesouro for gerenciado por um smart contract (contrato inteligente), esse veto não poderá mais ser exercido e as considerações citadas acima serão desnecessárias. O desenvolvimento do contrato do Tesouro começará em breve e faremos uma proposta preliminar sobre isso nos próximos 3 meses.

Ethos Open Source

O Decred é tanto um sistema financeiro quanto um projeto de código aberto, por isso faz sentido que o sejam adotadas muitas das práticas de projetos de código aberto bem-sucedidos. Apesar de a grande maioria dos projetos de criptomoeda serem de código aberto, muitos deles são executados como entidades corporativas convencionais, onde existe um grupo de desenvolvedores core que não tem membros abertos e eles fazem o que quiserem. O Decred foi criado para acomodar vários grupos de desenvolvedores que trabalham simultaneamente em vários repositórios, e nós tivemos bastante sucesso funcionando mais como um típico projeto de código aberto do que como uma entidade corporativa.

Em um ambiente corporativo, os desenvolvedores são contratados e direcionados para trabalhar em projetos de forma top-down, onde o processo de contratação é usado para realizar o controle de qualidade dos novos desenvolvedores. Como já contratei muitos desenvolvedores promissores nos últimos 10 anos, descobri que a realidade é que o processo de contratação não serve para determinar quem é e quem não é um bom candidato do ponto de vista de um desenvolvedor. Em vez de perpetuar esse mesmo processo propenso a erros com o Decred, eu incentivei desenvolvedores em potencial a aparecer, hackear o que achassem mais interessante, ver se eles se dão bem com os desenvolvedores existentes e se os desenvolvedores existentes gostam do que está sendo criado por eles.

Houve algumas tentativas de causar um curto-circuito nesse processo e, embora eu tenha achado difícil lidar com elas, isso se mostrou extremamente instrutivo. Se tornou muito claro para mim que os contratados em vários subdomínios precisam passar por um processo de verificação que envolva contratantes nesse subdomínio particular, por exemplo, os potenciais colaboradores de marketing precisam ter certeza de que eles se integram bem com os colaboradores de marketing existentes e que entregam um bom trabalho. Com base no que eu vi até hoje, vou apresentar uma proposta que formaliza esse processo, criando um processo de avaliação dos contratados do Decred. Muitos governos usam um sistema de verificação de segurança para examinar funcionários de várias agências e grupos de trabalho relacionados à segurança nacional, nos quais a intenção é garantir que o contratado não seja um espião estrangeiro, indigno de confiança ou um risco para a organização. Para o Decred, esse processo de verificação seria sobre se os contratados em potencial são adequados para a organização antes de poderem cobrar pelo seu trabalho. Observe que isso se aplicaria aos contratados e seus subcontratantes, onde o processo de liberação será mais extenso para os desenvolvedores do que em outros subdomínios do projeto. Isso significa que qualquer contratante corporativo que planeje empregar uma equipe grande precisa ter cada membro da equipe verificado antes de poder faturar o projeto por seu trabalho.

Mais soberania

Ao colocar nosso sistema de propostas em produção, estou reduzindo substancialmente minha própria influência dentro do projeto. Este é um marco importante para o Decred, e minha renúncia à soberania sobre as decisões financeiras do projeto é um aumento notável na soberania das partes interessadas.

À luz dessa crescente soberania das partes interessadas, é importante considerar a natureza da tomada de decisão dentro do Decred. O sistema de governança do Decred é uma forma de inteligência coletiva, na qual as partes interessadas têm influência proporcional à sua participação, semelhante a uma corporação com uma única classe de ações com direito a voto. Apesar das semelhanças com uma corporação, ela também possui elementos de um governo do estado-nação, e isso adiciona complexidade ao contexto de tomada de decisões. Tomar boas decisões requer uma combinação de compreensão, intuição e planejamento de longo prazo, e espero que as partes interessadas tomem decisões dessa forma daqui para frente. As más decisões são muitas vezes motivadas pela ignorância, pela ganância e pelo pensamento de curto prazo, que precisamos evitar.

Como o ato de votar se torna necessariamente político em alguma escala, é útil discutir o conluio e a criação de grupos políticos. Eu, pessoalmente, tento julgar o mundo ao meu redor independentemente das opiniões dos outros, e descobri que isso é uma abordagem saudável em muitos contextos diferentes, inclusive com o Decred. À medida que as partes interessadas formarem suas próprias opiniões sobre as várias questões que o Decred encontra no futuro, eu as encorajo a pensar de forma independente e exercer sua soberania de acordo. Se as partes interessadas formarem blocos de votação com agendas predefinidas ou se tornarem indevidamente influenciadas por oráculos dentro do nosso meio, espero que reconstituamos o caminho cortado por muitos governos estaduais onde nos tornamos um veículo para preservar o status quo, em oposição à criação de um novo e melhor mundo. Ao excluir do processo funcionários eleitos e nomeados, já reduzimos substancialmente os incentivos que se alinham para grupos políticos do estado-nação, por exemplo, onde é necessário um quorum mínimo para realmente impactar o processo legislativo. O Decred foi projetado desde o início para dar representação sem permissão a qualquer pessoa disposta a ter skin-in-the-game, e eu encorajo as partes interessadas a pensar de forma independente e exercer sua soberania de acordo com esse mesmo espírito.

Conflitos de interesse

Enquanto atuava como custodiante da organização, procurei mantê-la livre de conflitos de interesse. Como estamos construindo um novo tipo de infraestrutura com o Decred, esse processo não foi direto. O Decred usa alinhamento de incentivos para realizar grandes coisas, por isso, se não formos cuidadosos, é relativamente fácil desalinhar incentivos através do Tesouro. Encorajo nossos usuários e partes interessadas a pensarem mais sobre se as propostas criam ou não conflitos de interesse, e para evitá-las sempre que possível.

Há vários exemplos de conflitos de interesse que evitei enquanto administrei o Tesouro. No início, sugeriu-se que os fundos do Tesouro fossem usados para comprar tickets, para que pudesse coletar retornos da votação PoS. No entanto, esse processo não apenas cria risco do ponto de vista de segurança da informação, mas também levanta a questão: “como esses tickets devem ser votados?”. Essa ambigüidade é um terreno fértil para conflitos de interesses e cria problemas com a custódia no futuro, então decidi que não era apropriado comprar tickets com o Tesouro. Outra sugestão era que o Tesouro fosse usado para financiar a mineração GPU ou ASIC de Decred. Isso colocaria a organização de desenvolvimento core em desacordo com as empresas que criam hardware de mineração, de modo que os usuários e as partes interessadas seriam incentivados a bloquear novos participantes no ecossistema de hardware de mineração. Sia escolheu seguir esse caminho e esbarrou precisamente no conflito de interesses que eu vi quando a idéia foi sugerida, e eles, como resultado, sofreram com a fragmentação e frustração substanciais da comunidade. Haverá muitos outros exemplos de potenciais conflitos de interesse no futuro, e é importante que trabalhemos juntos para evitá-los.

Serviços profissionais

Tive experiências de todos os tipos ao lidar com provedores de serviços, por exemplo, serviços jurídicos, contábeis, de conformidade e de marketing, tanto em meus outros negócios, quanto no Decred. Descobri que muitos provedores de serviços cobrarão o que eles acham que tem como cobrar e se safar com isso, ao contrário do que deveriam ser faturados, com base nos resultados reais e nas horas trabalhadas. Para evitar esse tipo de cenário é ideal ter uma equipe interna que supervisiona e gerencia, de forma direta e rotineira, o trabalho realizado por prestadores de serviços. Se não houver alguém que trabalhe como contratado em tempo integral para gerenciar esses contratados externos, isso pode se tornar rapidamente um grande desperdício de dinheiro.

Independência do contratante

Um equívoco comum com a Politeia é achar que ela pode ser usada pelas partes interessadas para microgerenciar os contratados existentes. De acordo com meus comentários acima sobre nosso Ethos (personalidade) de projeto de código aberto, descobri que as pessoas fazem seu melhor trabalho quando estão trabalhando naquilo que mais lhe interessa, seja em um determinado subdomínio ou entre subdomínios. A tentativa de usar a Politeia neste contexto provavelmente se tornaria uma falha espetacular, afastando os contratados do projeto.

A Politeia tem a intenção de atuar como um bem comum digital onde novas ideias são propostas, discutidas, financiadas e concluídas de maneira voluntária. No caso de um desacordo particularmente controverso entre contratados dentro de um determinado subdomínio, por exemplo, onde um contratado é acusado de mau comportamento e sua rescisão é exigida mas estão vigorosamente contestando a reclamação contra eles, tal desacordo poderia ser resolvido por meio de uma proposta da Politeia. Exceto para resolver essas disputas mais extremas, o gerenciamento do contratado não deve ocorrer via Politeia, ou então corremos o risco de transformar o gerenciamento de pessoal em um concurso de popularidade das partes interessadas e deixar os eleitores desinteressados.

Eleitos e nomeados

Um dos objetivos do design do Decred é evitar funcionários eleitos e nomeados sempre que possível. Ao manter nossa hierarquia o mais plana possível, podemos evitar os papéis típicos do gatekeeper que estão presentes nas corporações, por exemplo, a equipe de RH só contrata pessoas que se parecem com X, freqüentaram a escola Y e têm experiência de trabalho Z. A simples observação da política dos Estados-naçoes deixa claro que a maioria das autoridades eleitas tem um conflito de interesses persistente e profundo: eles são incentivados a dizer o que é necessário para serem eleitos, e então passam a perseguir suas próprias agendas ou de seus financiadores depois da eleição. Da mesma forma, funcionários nomeados que não podem ser facilmente substituídos ou removidos criam uma enorme quantidade de atrito em certos cenários, por exemplo, o Supremo Tribunal dos EUA. Em vez de reimplementar sistemas com falhas conhecidas, deveríamos estar construindo um sistema melhor, assim como já fizemos com nosso sistema de consenso e com a Politeia.

Privilégios

Como residente de Chicago e do Estado de Illinois nos EUA, estou muito ciente de como as coisas podem ficar ruins quando os privilégios não são gerenciados adequadamente. Os privilégios são um problema sério para muitos governos municipais, estaduais e federais, e podem muito bem se tornar um problema dentro do Decred. Algumas pessoas podem ver a Politeia e o Tesouro como uma oportunidade de enriquecer às custas do projeto, o que contraria o objetivo do Tesouro, que é ampliar o valor do Decred de acordo com a vontade de seus acionistas. Devemos permanecer vigilantes em relação a quaisquer privilégios dentro do projeto, visando evitar que eles consumam grandes parcelas dos pagamentos do Tesouro.

Em termos de contratados, acredito que não devem ser pagos quando não há resultados finais substantivos. Eu demiti vários contratados porque suas entregas não se alinhavam com o que eles cobraram e foram pagos. Reduzir continuamente o peso morto exigirá uma boa dose de trabalho e um olhar crítico da nossa equipe interna.

Início cuidadoso da Politeia

A Politeia constitui uma mudança substancial na forma como o Decred opera, por isso não espere um volume maciço imediatamente. A manutenção e o trabalho contínuo de desenvolvimento continuarão como sempre, mas novos grandes projetos podem demorar um pouco para acontecer. Novos contratados individuais e corporativos devem fazer um esforço em demonstrar sua capacidade de entregar projetos menores antes de tentar assumir os principais projetos. Logo no início, esperamos ver várias propostas em relação às políticas, o que ajudará a gerenciar as expectativas tanto dos contratados quanto dos usuários, como por exemplo, o Processo de Contratação do Colaborador do Decred.

Poupar e acumular os fundos existentes do Tesouro exigiu disciplina e provisionamento, por isso sugiro fazer um esforço em não baixá-lo excessivamente ou muito rápido. Na atual taxa de acumulação, cerca de DCR 17.000 foram adicionados ao Tesouro em setembro de 2018, enquanto as despesas dos contratantes do mesmo mês foram de aproximadamente USD 200.000. Isso significa que aproximadamente 28% dos cerca de USD 700.000 adicionados ao Tesouro foram gastos em setembro de 2018. Do ponto de vista do crescimento, acredito que seria ideal para o Tesouro diminuir os gastos no futuro. Se a taxa de gasto aumenta muito rapidamente, corremos o risco de uma queda na taxa de câmbio, causando sérias quedas no Tesouro, juntamente com queda da eficiência das despesas. Atualmente, cerca de 60% do pagamento mensal do Tesouro é gasto em desenvolvimento.

Desenvolvimento “Core”

Embora a Politeia seja usada para aprovar todos os pagamentos do Tesouro, o processo para o pessoal “core” será diferente dos outros grupos que usam a Politeia. Assim como um governo estadual, o Decred tem vários processos em andamento que exigem pessoal e trabalho contínuo. A criação de propostas em uma base regular e ter os interessados ​​votando nele é tanto demorada a partir da perspectiva de criar uma proposta adequada e pode levar as partes interessadas à exaustão com tantas propostas a serem votadas. Do ponto de vista do fluxo de trabalho e produtividade, não faz sentido criar regularmente novas propostas quando ocorrem pequenas alterações no produto de trabalho que está sendo gerado pela equipe principal.

Na ausência de um fluxo constante de propostas da equipe principal, sugiro que criemos restrições orçamentárias para essa equipe. Atualmente, a maior parte do pagamento mensal do Tesouro destina-se a financiar a equipe principal, e é importante que as partes interessadas possam determinar esses gastos conforme julgarem apropriado. No caso em que a equipe principal esteja buscando atividades que as partes interessadas considerem contraproducentes, seria razoável criar uma proposta exigindo uma mudança correspondente no foco da equipe. De acordo com os comentários anteriores sobre a independência do contratado, é importante que as propostas para mudanças no foco da equipe sejam amplas, para evitar a microgestão.

A maior parte do trabalho realizado pela equipe principal já é pública, onde existem apenas algumas coisas que permanecem privadas. Os itens pendentes são o trabalho inicial de privacidade e a contabilidade da organização de desenvolvimento, que serão tornados públicos nos próximos meses. Nenhuma destas atividades está criando um problema financeiro substancial, então peço paciência quanto a isso até 2019.

Bônus de Milestone

Até o momento, os contratados foram pagos quase que exclusivamente por hora, onde temos, na maioria das vezes, taxas independentes de localização geográfica, que são razoáveis mas não altas o suficiente para atender alguns colaboradores que moram em áreas com altos custos de vida. Embora tenhamos nos saído bem usando esse modelo até agora, reconheço que há problemas para atrair e reter os principais talentos. Internamente, na Company 0, ofereço bônus à minha equipe pago em DCR na entrega de marcos importantes dos projetos. Esse modelo de pagamento de bônus, comumente feito em ações, opções ou dinheiro em um contexto de empresa convencional, é muito comum em empresas financeiras ou de tecnologia.

Com a entrada em produção da Politeia, há a oportunidade de implementar um modelo semelhante como componente do orçamento de uma proposta. Tanto na Company 0 como com os prestadores de serviços, tenho uma forte aversão ao pagamento de altas taxas homem/hora ou de salários, uma vez que muitas vezes fazem um trabalho ruim para ganhar mais. Por exemplo, os colaboradores são incentivados a demorar muito tempo para concluir o trabalho. No entanto, uma vez que um importante marco foi atingido, descobri que pagar um bônus para esse trabalho é um processo muito melhor para alinhar os incentivos. Os contratados ou colaboradores estão ansiosos para atingir o marco, a administração está ansiosa para atingir o marco, e as partes externas podem verificar se o marco realmente foi atingido. Sugiro que contratantes potenciais incluam um cronograma de bônus ao criar propostas maiores, e que os bônus correspondam a marcos verificáveis ​​externamente.

Transparência Financeira

Eu prometi bastante transparência financeira quando o Decred foi lançado em fevereiro de 2016, mas essa transparência está agora no nosso horizonte. Eu entregarei um detalhamento dos gastos do Tesouro de fevereiro de 2016 até o final de 2018, onde as transações serão marcadas e classificadas de acordo com o tipo de despesa, por exemplo, marketing, design e desenvolvimento. Esse trabalho será concluído antes de 2019 e o processo de tornar essas informações públicas se tornará semiautomatizado, portanto, deixarei de ser um gargalo para esse processo.

Gestão de Contratados

Administrar os contratados do Decred tornou-se uma tarefa maior à medida que o tempo passa, tanto em termos de número de colaboradores quanto da variedade de projetos em pauta. O trabalho de automatizar partes do gerenciamento do contratado já começou com o processo de faturamento. O formato da fatura do contratado será padronizado, para que cada fatura de contratado submetida tenha cada item classificado de acordo com o tipo de despesa. A padronização das faturas permitirá a criação semi-automatizada de resumos de despesas, o que criará transparência financeira de forma contínua. Esse sistema de contratação é baseado na Politeia, onde os usuários são os contratados, as propostas são as faturas e os administradores são os auditores do projeto. As faturas do contratado serão revisadas, auditadas e, em seguida, agregadas em um único pagamento em cada mês, em que cada um desses pagamentos será aprovado em uma proposta. Depois que a funcionalidade básica de faturamento do sistema estiver funcionando, planejamos adicionar a capacidade de propor a adição, remoção e auditoria de contratados. Vamos fazer um anúncio mais detalhado sobre o sistema de contratação, quando estiver pronto para testes.

Conclusão

Estou muito entusiasmado por nossas partes interessadas e usuários participarem da gestão do Tesouro e do projeto de forma mais ampla. Atuar como custodiante do Tesouro tem sido um papel interessante, mas estou disposto a compartilhar a soberania da administração do Tesouro. Agora que as partes interessadas do Decred podem participar do gerenciamento do Tesouro, podemos expandir o escopo de nosso trabalho e nos envolver de maneira mais significativa com nossos usuários. Com certeza haverá surpresas ao longo do caminho, então espere o inesperado e fique atento.